PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E TABAGISMO ENTRE PACIENTES SUBMETIDOS A REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO / PREVALENCE OF ARTERIAL HYPERTENSION AND SMOKING AMONG PATIENTS SUBMITTED TO MYOCARDIAL REVASCULARIZATION

Claudia Franco Guimarães, Antônio Acácio Guimarães, Keila Alves Teixeira

Resumo


Objetivo: identificar a prevalência de hipertensão arterial e tabagismo entre pacientes submetidos a revascularização do miocárdio. Métodos: estudo descritivo, de corte transversal. A partir de uma amostra de conveniência foram analisados 72 prontuários de pacientes submetidos a angioplastia coronária percutânea transluminar e a cirurgia de revascularização miocárdica em um hospital público localizado no interior da Bahia. Aplicou-se um questionário para identificar os dados sociodemográficos e perfil saúde-doença destes pacientes. Para a análise dos dados empregou-se a estatística descritiva e inferencial, por meio do teste de Qui-quadrado de Sperman. Resultados: identificou-se que 38% dos pacientes foram submetidos a angioplastia e 62% à cirurgia cardíaca. A maioria dos pacientes era do sexo masculino (58%) e a idade variou de 40 a 79 anos. A prevalência de hipertensão arterial foi de 97% e de tabagismo 7%. Conclusão: esses resultados tem potencial para direcionar estratégias de intervenções com pessoas hipertensas, sobretudo no âmbito da Atenção Básica, para a promoção da saúde, buscando-se reduzir a possibilidade da ocorrência de revascularização do miocárdio.

Descritores: Hipertensão; Tabagismo; Doenças Cardiovasculares; Cirurgia Torácica.


Texto completo:

PDF PDF-ING

Referências


Yeom H, Lee JH, Kim HC, Suh I. The association between smoking tobacco after a diagnosis of Diabetes and the prevalence of diabetic nephropathy in the Korean male population. J Prev Med Public Health. 2016 [citado em 2018 jan. 5]; 49(2):108-17. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4829370/

Sociedade Brasileira de Cardiologia. VII Diretriz de Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol. 2016; 107(3): 1-83.

Silva EC, Martins MSAS, Guimarães LV, Segri NJ, Lopes MAL, Espinosa MM. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica e fatores associados em homens e mulheres residentes em municípios da Amazônia Legal. Rev Bras Epidemiol. 2016; 19(1): 38-51.

Barreto MS, Silva RLDT, Waidman MAP, Marcon SS. A trajetória das políticas públicas de saúde para hipertensão arterial sistêmica no Brasil. Rev. APS. 2013; 16(4): 460-8.

Potter P. Procedimentos e intervenções de enfermagem. 9ª ed. SP: GEN Guanabara, 2018.

Organização Pan-americana de Saúde (OPAS); Organização Mundial da Saúde (OMS) Brasil. Folha informativa-Tabaco, 2018. Disponível em: www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5641:folha-informativa-tabaco&Itemid=0. Acesso em: 10 out. 2018.

Campos ICM, Angélico AP, Oliveira MS, Oliveira DCR. Fatores sociodemográficos e ocupacionais associados à Síndrome de Burnout em profissionais de enfermagem. Psicol Reflex Crit. 2015; 28(4): 766-71.

Gonçalves RMDA, Pereira MER, Pedrosa LAK, Silva QCG, Abreu RMD. A comunicação verbal enfermeiro- paciente no perioperatório de cirurgia cardíaca. Cienc Cuid Saude. 2011; 10(1): 27-34.

Massa KHC, Duarte YAO. Análise de prevalência de doenças cardiovasculares e fatores associados em idosos, 2000- 2010. Ciênc Saúde Coletiva. 2019; 24(1): 105-14.

Silveira EL, Cunha LM, Pantoja MS, Lima AVM, Cunha ANA. Prevalência e distribuição de fatores de risco cardiovascular em portadores de doença arterial coronariana no Norte do Brasil. Rev Fac Ciênc Méd Sorocaba. 2018; 20(3):167-73.

Mansur AP, Favarato D. Tendências da taxa de mortalidade por doenças cardiovasculares no Brasil, 1980-2012. Arq Bras Cardiol. 2016; 107(1):20-5.

Barreto MS, Reiners AAO, Marcon SS. Knowledge about hypertension and factors associated with the non-adherence to drug therapy. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2014 [cited 2020 May 29]; 22(3): 491-8. Available from: https://doi.org/10.1590/0104-1169.3447.2442.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Associação Brasileira do Climatério. I Diretriz Brasileira sobre prevenção de doenças cardiovasculares em mulheres climatéricas e a influência da terapia de reposição hormonal (TRH). Arq Bras Cardiol. 2008; 91(1):1-23.

Siqueira AFA, Pititto BA, Ferreira RFG. Doença cardiovascular no diabetes mellitus: análise dos fatores de risco clássicos e não-clássicos. Arq Bras Endocrinol Metab. 2007; 51(2): 257-67.

Zattar MML, Kretzer MR, Freitas PF, Herdy AH, Vietta GG. Dupla carga de doença (hipertensão arterial e Diabetes mellitus) no sul do Brasil. Rev Elet Est Saúde. 2019;8(2): 16-22.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretriz da Sociedade Brasileira de Cardiologia e da hemodinâmica e cardiologia intervencionista sobre intervenção coronária percutânea. Arq. Bras. Cardiol. 2017; 109(1 Supl.1): 1-81.

Furtado MV, Araújo GN, Jost MF, Americo AD, Perruzo N, Nasi G, et al. Effectiveness of Medical and Revascularization Procedures as the Initial Strategy in Stable Coronary Artery Disease: A Cohort Study. Int J Cardiovasc Sciences. 2017; 30(5): 408-15.

Zarpelon CS, Netto MC. Jorge JCM, Fabris CC, Desengrini D, Jardim MS, et al. Colchicine to reduce atrial fibrillation in the postoperative period of myocardial revascularization. Arq Bras Cardiol. 2016; 107(1): 4-9.

Dordetto PR, Pinto GC, Camargo-Rosa TCS. Pacientes submetidos à cirurgia cardíaca: caracterização sociodemográfica, perfil clínico-epidemiológico e complicações. Rev Facul Ciênc Méd Sorocaba. 2016; 18(3): 144-9.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2596-0342