Políticas Editoriais

Políticas de Seção

Artigos

Política padrão de seção

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Diretrizes aos Autores

Política Editorial

 

A Revista Paranaense de Enfermagem (REPEN) é um periódico publicado anualmente de responsabilidade do Departamento de Enfermagem da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari (FAFIMAN). A missão da revista é fomentar a produção e a disseminação do conhecimento da Enfermagem e áreas correlatas para o avanço do conhecimento científico e da prática profissional em saúde, por meio da publicação de artigos com mérito científico. Publica textos inéditos nos idiomas: português e inglês (e eventualmente, espanhol) nas categorias: Artigo Original, de Revisão Sistemática, Relato de Experiência e Ensaio Reflexivo. As contribuições que se destinam a divulgar resultados de pesquisa original inédita têm prioridade para publicação. É utilizado o sistema de publicação em fluxo contínuo (rolling pass). Números especiais e/ou temáticos podem ser publicados a critério da Comissão Editorial. O processo de avaliação adotado é o de revisão cega por pares (peer review) preservando, desse modo, o anonimato dos autores e revisores.

A revista segue o código de conduta ética em publicação recomendado pelo Commitee on Publication Ethics (COPE) (http://publicationethics.org) e as condutas de Boas Práticas de Editoração – Code of Conduct and Best Practice Guidelines for Journal Editors (http://publicationethics.org/resources/code-conduct). A REPEN adota a normalização dos “Requisitos Uniformes para manuscritos apresentados a periódicos biomédicos” (Estilo Vancouver) (http://www.icmje.org/recommendations).

Nas pesquisas envolvendo animais e/ou seres humanos, é necessário o envio de cópia da aprovação por um Comitê de Ética reconhecido pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), segundo as normas da Resolução 466/2012, do Conselho Nacional de Saúde – CNS ou órgão equivalente para pesquisas realizadas em outros países (exceto se os dados forem de domínio público). Os estudos tipo ensaio clínico deve ter o número do Registro de Aprovação de Ensaios Clínicos (http://www.ensaiosclinicos.gov.br) o qual deve ser enviado à revista.

Os manuscritos podem ser submetidos nos idiomas português, inglês e espanhol e destinados exclusivamente à REPEN. Não é permitida a apresentação simultânea do texto a outro periódico, parcial ou integralmente. Ainda, a revista considera como infração ética a publicação duplicada ou fragmentada de uma mesma investigação. Reforça-se que ferramentas para localização de similaridade de textos são utilizadas pela revista para detecção de plágio.

Os autores são responsáveis por reconhecer e encorajados a revelar quaisquer conflitos de interesse que possam influenciar seu trabalho para que o Conselho Editorial possa decidir sobre o manuscrito. Por exemplo, os autores devem informar o apoio financeiro e outras conexões financeiras ou pessoais em relação ao seu trabalho, quando houver. As relações financeiras ou de qualquer outro tipo que possam levar a conflitos de interesse devem ser informadas pelos autores em declarações (Clique aqui para ver o modelo)..

Os manuscritos uma vez publicados se tornarão propriedade da revista, sendo vedada qualquer reprodução total ou parcial, em qualquer outro meio de divulgação, impressa ou eletrônica, sem a prévia autorização da Revista Paranaense de Enfermagem.

revista desencoraja a submissão de artigos originais, cujos dados tenham sido coletados há mais de quatro anos, e de artigos de revisão, com coleta de dados há mais de um ano. A veracidade das informações e das citações bibliográficas é de responsabilidade exclusiva dos autores.

As pessoas designadas como autores devem ter participado substancialmente da elaboração do manuscrito para assumir a responsabilidade pelo seu conteúdo. O International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE) recomenda que a autoria se baseie nos seguintes critérios: a) contribuições substanciais para a concepção ou desenho da investigação;  b) contribuições substanciais na coleta, análise e interpretação dos dados; c) contribuições substanciais na escrita do artigo ou na sua revisão crítica; d) aprovação final da versão a ser publicada.

Todos aqueles designados como autores devem atender aos quatro critérios de autoria. O número máximo de autores é seis. Na página de títulos os autores devem colocar o nome por extenso e a contribuição detalhada de cada um dos autores.

Durante a submissão é necessário enviar devidamente preenchida e assinada a Declaração de Responsabilidade e de Cessão de Direitos Autorais (Clique aqui para ver o modelo).

Quando o artigo for aprovado para publicação, a tradução para o idioma inglês deverá ser providenciada de acordo com as orientações da Revista. Em caso de artigos submetidos em espanhol, além da versão em inglês, deverá ser providenciada pelos autores a tradução na íntegra para o português. O custo das traduções é de responsabilidade exclusiva dos autores.

 

 

Processo de avaliação dos manuscritos

 

A análise das contribuições é realizada em diversas fases, envolvendo a equipe editorial e os pareceristas ad-hoc.

  • 1ª Fase: Análise inicial pela Secretaria da REPEN, quanto ao cumprimento das normas de envio. Caso o manuscrito não atenda integralmente as normas estabelecidas, será devolvido para adequação;
  • 2ª Fase: Uma vez adequado às normas da Revista, o manuscrito é direcionado ao Editor;
  • 3ª Fase: O editor avalia a qualidade e o interesse do manuscrito para a REPEN e encaminha ao conselho editorial que, de acordo com a temática do manuscrito, selecionará dois pareceristas ad-hoc;
  • 4ª Fase: Os pareceristas emitem  julgamento do mérito e havendo discordância, o manuscrito é encaminhado a um terceiro parecerista; 
  • 5ª Fase: O editor, considerando os pareceres, emite a recomendação editorial (aceitar, revisar ou recusar) e encaminha aos autores;
  • 6ª Fase: Caso o manuscrito necessite de ajustes os autores realizarão as solicitações ou justificarão/fundamentarão os aspectos não atendidos. O texto reformulado será enviado ao editor que decidirá se é necessária nova avaliação de pareceristas.
  • 7ª Fase: Em caso de aceite, será cobrada a taxa de publicação dos autores e o manuscrito entra no processo de editoração para publicação; 
  • 8ª Fase: O manuscrito é enviado para revisora da língua portuguesa e para tradução ao inglês, com gastos custeados pelos autores;
  • 9ª Fase: Revisão bibliográfica, o bibliotecário faz a leitura do manuscrito para validar as referências, verificando a sequência das citações no texto e a correlação com a lista final. Elabora a padronização das referências no estilo “Vancouver” e dos descritores de acordo com o DeCS e o MeSH Database.
  • 10ª Fase: publicação online.

 

 

Tipos de manuscrito aceitos


Editorial
 – a convite do editor. Texto que aborda assunto de interesse para o momento histórico, político, social, econômico, educacional, teórico ou assistencial para a área da Enfermagem e Saúde. Pode conter até 1200 palavras (do título à conclusão) e, no máximo, cinco referências.

Artigos originais – as contribuições são destinadas a divulgar resultados de pesquisa original e inédita, que possam ser replicados e/ou generalizados, que demonstrem claramente o avanço no conhecimento científico para a área. Pode conter até 5000 palavras (do título à conclusão) e, no máximo, vinte e cinco referências. Não entram na contagem de palavras tabelas, gráficos, figuras e referências.

Artigos de revisão – são estudos de avaliação crítica, abrangente e sistematizada. Seu principal objetivo é estimular a discussão e introduzir o debate sobre aspectos relevantes e inovadores. Empregam o método de revisão, o processo minucioso de busca e critérios para a seleção e classificação dos estudos primários incluídos. Devem ser sustentados por padrões de excelência científica e responder à pergunta de relevância para a enfermagem e/ou área da saúde. Dentre os métodos utilizados estão: metassíntese, metanálise, revisão sistemática e revisão integrativa. Pode conter até 6000 palavras (do título à conclusão) e não há limite máximo de referências.

Ensaio Reflexivo – formulações discursivas teóricas e aprofundadas, focalizando conceito ou constructo teórico da Enfermagem ou áreas afins; ou discussão sobre um tema específico, estabelecendo analogias, apresentando e analisando diferentes pontos de vista, teóricos e/ou práticos. Pode conter até 4000 palavras (do título à conclusão) e, no máximo, vinte referências.

Relato de Experiência – estudos em que se descreve uma situação da prática (ensino, assistência, pesquisa ou gestão/gerenciamento), as estratégias de intervenção e a avaliação de sua eficácia, de interesse para a atuação profissional. Pode conter até 4000 palavras (do título à conclusão) e, no máximo, vinte referências.

 

 

Preparo dos documentos

 

Página de identificação e manuscrito

O formato do arquivo deve ser doc ou docx (MS Word).

página de identificação e o manuscrito (documento principal) devem ser elaborados e enviados em arquivos independentes, o que preservará o anonimato dos autores.

A página de identificação deve conter:

a) título do manuscrito (conciso, mas informativo, com no máximo 15 palavras) somente no idioma original;

b) nome completo de cada autor, com seu(s) título(s) acadêmico(s) mais elevado(s) e afiliação institucional;

c) o(s) nome(s) do(s) departamento(s) e da instituição(ões) a(os) qual(is) o trabalho deve ser atribuído;

d) nome, endereço completo, telefone/fax e endereço eletrônico do autor responsável pela correspondência;

e) contribuição individual de cada autor no trabalho;

f) agradecimentos, se houver, devem constar nesta página.

 

O documento principal deve conter o título, o resumo, os descritores e o corpo do manuscrito. Não colocar a identificação dos autores. Redija o texto em ortografia oficial, em folhas A4; espaço entrelinhas de 1,5; fonte Times New Roman, tamanho 12, inclusive nas tabelas. As margens superiores, inferiores e laterais devem ter 2,5 cm.

 

Estrutura das seções

- Título somente no idioma do manuscrito

- Resumo estruturado somente no idioma do manuscrito

- Descritores em português, inglês (Descriptors) e espanhol (Descriptores)

- Introdução

- Métodos

- Resultados

- Discussão

- Conclusão/Considerações finais

- Referências.

 

O resumo deve ser apresentado na primeira página, somente no idioma do manuscrito, com limite máximo de 200 palavras. Deve ser estruturado com as seguintes seções: objetivo(s), método, resultados e conclusão/considerações finais. Não utilizar siglas no resumo, exceto as reconhecidas internacionalmente, nem tampouco citações de autores.

Os descritores vêm abaixo do resumo. Inclua de cinco a seis descritores no idioma original. Para determiná-los, consultar a lista de Descritores em Ciências da Saúde (DeCS), elaborada pela BIREME e disponível na internet pelo sitehttp://decs.bvs.br ou o Medical Subject Headings (MeSH) do Index Medicus.

Na página seguinte inicie com o texto. A apresentação das diferentes seções deve estar organizada sem numeração progressiva para títulos e subtítulos, devendo eles ser diferenciados por meio de tamanho da fonte utilizada e emprego do recurso itálico. Exemplo:

Título = RESULTADOS     

Subtítulo 01 = A falta do apoio familiar como barreira para a adesão

Subtítulo 02 = 'Às vezes a família atrapalha'

 

Seções

  • Introdução: deve conter uma breve definição do problema que está sendo estudado, justificando sua importância e as lacunas (gap) do conhecimento a serem colmatadas, com base em referências nacionais e internacionais atualizadas e pertinentes.
  • Objetivo: estabelece e demonstra com precisão a questão principal que foi estudada. Utilizar o verbo do objetivo no infinitivo.
  • Método: revela o tipo do estudo; abordagem metodológica; população/cenário; critérios de seleção; definição da amostra (se houver); fonte, período e procedimento de coleta de informações, análise/tratamento dos dados e quaisquer outros aspectos inerentes ao método. É obrigatório informar o seguimento dos padrões éticos exigidos pela legislação vigente e o número do parecer de autorização emitido por Comitê de Ética.
  • Resultados: apresenta e descreve somente os dados encontrados, sem interpretações ou comentários dos autores. Objetivando facilitar a compreensão, podem ser inseridas tabelas, quadros e figuras, desde que não repitam informações apresentadas de forma textual. Para estudos qualitativos apresentar os resultados, incluindo falas dos participantes.
  • Discussão: para comparações convergentes e divergentes dos dados obtidos e dos resultados alcançados utilize a literatura e outras pesquisas nacionais e internacionais já publicadas, enfatizando aspectos novos e relevantes observados no estudo. Ao final, deve apontar as limitações do estudo e os avanços para a área da enfermagem/saúde.
  • Conclusão/Considerações finais: deve ser fundamentada nos resultados da pesquisa, respondendo aos objetivos propostos. Redija-a de forma direta, clara e objetiva. Não se pode citar referências nesta seção.
  • Referências: o número máximo de referências varia de acordo o tipo do manuscrito. É preciso seguir a proporcionalidade de 80% de artigos de periódicos e 80% dos últimos cinco anos. É permitido um máximo de 20% de autocitação.

As citações de referências no texto devem ser enumeradas de forma consecutiva, em algarismos arábicos, sobrescritos e entre parênteses, sem menção ao nome dos autores (exceto aqueles que se confiram como referencial teórico). Quando as referências forem sequenciais, indicar o primeiro e o último número, separados por hífen. Ex.: (1-5); quando intercaladas, deverão ser separados por vírgula, ex.: (1-2,5).

 

 

Modelos de Referências

 

Exemplos de citações de referências conforme o tipo de documento

 

Artigo padrão

Barreto MS, Mendonça RD, Pimenta AM, Garcia-Vivar C, Marcon SS. Não utilização de consultas de rotina na Atenção Básica por pessoas com hipertensão arterial. Ciênc. saúde coletiva. 2018;23(3):795-804.

 

Artigo com mais de seis autores (citam-se os seis primeiros, seguidos da expressão et al.)

Mendonça RD, Pimenta AM, Gea A, Fuente-Arrillaga C, Martinez-Gonzalez MA, Lopes ACS, et al. Ultraprocessed food consumption and risk of overweight and obesity: the University of Navarra Follow-Up (SUN) cohort study, Am J Clin Nutr. 2016;104(5):1433-40.

 

Artigo cujo autor é uma organização

American Association of Critical-Care Nurses. Family presence during resuscitation and invasive procedures. Crit Care Nurs. 2016; 36(1):11-14.

 

Artigo com múltiplas organizações como autor

American Dietetic Association; Dietitians of Canada. Position of the American Dietetic Association and Dietitians of Canada: nutrition and women's health. J Am Diet Assoc. 2004;104(6):984-1001.

 

Artigo num volume com suplemento

Travassos C, Martins M. Uma revisão sobre os conceitos de acesso e utilização de serviços de saúde. Cad Saúde Pública. 2004;20 Supl 2:S190-8.

 

Artigo num número especial

BaldoinoAS, Veras RM. Análise das atividades de integração ensino-serviço desenvolvidas nos cursos de saúde da Universidade Federal da Bahia. Rev Esc Enferm USP. 2016;50(n.esp):17-24.

 

Livros

Livro padrão com autor pessoal

Corbin JM, Strauss A. Basics of qualitative research: Techniques and procedures for developing Grounded Theory. 4a ed. New York: SAGE Publications; 2014.

 

Capítulo de livro

Marcon SS, Arruda GO, Barreto MS, Teston EF, Lopes APT, Dias BC. Assistência e apoio às famílias de pacientes crônicos no domicílio: quase duas décadas de atuação de um projeto de extensão. In: Elsen I, Marcon SS, Souza AIJ, Nitschke RG, organizadoras. Enfermagem com famílias: modos de pensar e maneiras de cuidar em diversos cenários brasileiros. Florianópolis: Editora Papa Livros; 2015. p. 189-214.

 

Documentos legais (adaptados)

Brasil. Lei n. 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 26 jun. 1986. Seção 1, p. 1.

 

Documentos eletrônicos

 

Artigo de periódico

Barreto MS, Reiners AAO, Marcon SS. Knowledge about hypertension and factors associated with the non-adherence to drug therapy. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2014 [cited 2018 Apr 16]; 22(3):491-8. Available from:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692014000300491&lng=en.

 

Documentos legais (adaptados)

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 204, de 27 de janeiro de 2007. Regulamenta o financiamento e a transferência dos recursos federais para as ações e os serviços de saúde, na forma de blocos de financiamento, com o respectivo monitoramento e controle [Internet]. Brasília; 2007 [citado 2009 mar. 25]. Disponível em: 
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2007/prt0204_29_01_2007.html

Para outros exemplos é recomendado consultar o documento “Requisitos uniformes para manuscritos apresentados a periódicos biomédicos” (https://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html).

Literatura cinzenta: Devem ser evitadas citações de documentos não indexados e de difícil acesso à comunidade científica (exceto as imprescindíveis), consideradas como literatura cinzenta. É classificada como literatura cinzenta os livros, teses, dissertações, manuais, legislação, normas, resumos de congresso, entre outros materiais não publicados.

 

 

Processo de submissão

Os manuscritos devem ser submetidos por meio do website da revista (http://seer.fafiman.br/index.php/REPEN), seguindo-se os passos do sistema.

 

Check list aos autores

Checklist aos autores